instargam-privacy-FB-1024x1024A rede social de fotografias e vídeos, propriedade do Facebook e com apenas cinco anos de vida, conta com mais de 400 milhões de utilizadores ativos por mês e com uma média de 80 milhões de fotos partilhadas por dia, que geram mais de 3500 milhões de “gostos”. O seu uso fácil e a possibilidade de permitir aos utilizadores expressarem-se através de uma simples imagem ou vídeo levou milhões de utilizadores de todo o mundo a criar uma conta no Instagram.

Mas já alguma vez se perguntou que informação está, na realidade, a partilhar? Sabe que os seus conteúdos estão expostos a milhões de curiosos? Pretende realmente ser observado por perfeitos desconhecidos? A grande popularidade desta rede social levou os peritos da Kaspersky Lab a refletir sobre a forma como utilizamos o Instagram e a quantidade e tipo de conteúdos que realmente partilhamos.

No momento de criar uma nova conta, a maioria dos utilizadores aceita os termos e condições sem fazer uma leitura prévia, deixando de lado a configuração dos níveis de privacidade de todas as fotografias que vai partilhar. A Kaspersky Lab dá cinco conselhos que, uma vez seguidos, permitirão usufruir da aplicação e partilhar os conteúdos de uma forma segura:

  1. Password: passo fundamental quando se cria uma conta. Assegure-se que escolhe uma password forte e única, que inclua letras, números e símbolos. Assim, evitará que os hackers a consigam obter facilmente.
  1. Privacidade: este conselho dependerá do quão goste de se exibir online. Se for muito zeloso da sua intimidade e só pretender partilhar os seus conteúdos com pessoas que conhece, continue a ler esta dica. Selecione a opção de “Conta Privada” dentro da secção “Opções”, assim evitará que estranhos consigam ver as suas imagens. Isto é especialmente recomendável aos pais, por exemplo, que queiram partilhar com amigos e família fotografias dos seus filhos. Só recomendamos a configuração “Público” em último caso ou se for uma empresa ou instituição.
  1. Saber o que partilha: como acontece com outras redes sociais, existem marcas e ferramentas que se introduzem na API do Instagram para facilitar, por exemplo, a partilha de imagens ou a participação em concursos. Mas já se perguntou se estas aplicações necessitam realmente de toda a sua informação? Se não sabe a resposta, o melhor é iniciar sessão na sua conta do Instagram e verificar com que apps a sessão foi iniciada, já que a sua conta pode estar assim mais vulnerável.
  1. Cuidado com os (as) bots: no caso dos homens, é muito possível que até com uma conta privada recebam solicitações de mulheres muito atraentes em busca de noivo ou com muito dinheiro para partilhar. A isto chamamos de fembots, ou mulheres robot. Não existem, pelo que não caia na tentação de lhes escrever mensagens privadas, ou clicar nos links que lhe enviam.
  1. Violação de contas: este é um assunto muito popular, com mais de 1.300 milhões de resultados no Google a ensinar como fazer o “Instragram account hacking”. Nunca siga esses links.

Se a sua conta foi pirateada, inicie sessão e mude de imediato a password e ajustes de privacidade. Se não for possível, aconselhamos a visitar o “Centro de Ajuda” da rede social, onde poderá estabelecer uma nova password além de reportar conta de spam, entre muitas outras situações.

Fonte: Kaspersky Lab  e Adding Value

Partilhe no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *